• Saviitri Ananda

CORPO E MAGNOSFERA


Somos energia e muito se tem falado sobre essa “energia”, sobre o nosso “campo energético”. Nosso campo energético é de vital importância e principal responsável pela nossa vida. O corpo humano possui energia potencial, armazena fontes de reserva para a realização de um trabalho, de uma atividade. Para obtermos essa energia nos alimentamos e é através da nossa alimentação e respiração, que conseguimos transportar os nutrientes para todo o nosso organismo.


Antes de falarmos sobre nosso Campo Energético é preciso tecermos algumas considerações sobre o campo magnético da Terra. Este é um campo que está sendo altamente monitorado, já que é o escudo que protege a vida no nosso planeta dos raios cósmicos, meteoritos e cometas que poderiam ser letais para todas as espécies de seres vivos. Estamos conectados a vibração da magnetosfera através de nossa glândula pineal, que vibra na mesma frequência do núcleo de nosso planeta, sincronizando nossos ritmos vitais com o da Terra.


O corpo humano também gera sua própria magnetosfera, o campo energético humano e temos instrumentos com sensores altamente sensíveis para poder registrar e medir suas manifestações. Nosso corpo é um grande campo eletromagnético na sua totalidade, um corpo de energia, a visão como uma estrutura de carne e osso é a representação que faz nosso cérebro, dos sinais que recebe nosso aparato perceptual. A forma, a cor, o cheiro e o sabor de nosso corpo, são somente representações virtuais de nosso cérebro destes sinais, da mesma maneira que uma televisão recebe sinais radioelétricos e transforma em imagens e sons e a maior parte das energias geradas por cada ser fica com a própria pessoa.

Então o Campo Energético individual é constituído humano através dos seus pensamentos, sentimentos, emoções, palavras, desejos e ações, acrescido de, pelo menos, outros quatro tipos de energias que nele conseguem penetrar: as energias humanas alheias, atraídas por afinidade; as energias humanas dos outros corpos magnéticos; as energias dos campos magnéticos dos locais e as energias da natureza que conseguir captar. Quando nosso corpo diminui a intensidade de seu campo magnético, ficamos doentes. Na medicina indiana e chinesa há milênios, estes campos elétricos por onde circula esta energia são tratados ( nadis e meridianos); pois somos energia e o campo magnético terrestre (magnetosfera) afeta o nosso organismo .


A Terra faz o mesmo com seu campo geomagnético, recebe cargas elétricas e dança seu baile cósmico no planeta solar, impedindo o passo das radiações cósmicas destrutivas, os meteoritos e os cometas, somente deixando passar as radiações que lhe permitem manter a vida. “Assim como é acima é embaixo”, do macro ao microcosmo. Se observarmos o que acontece num microscópio, veremos que o campo eletromagnético de cada célula é também uma barreira de proteção, um escudo como de sua membrana, que defende cada uma de nossas células, fazendo-as “ressonar em harmonia” e aproximando-as a outros micro-organismos ou moléculas que trazem benefícios e rejeitando a outras que poderiam ser destrutivas.


Entre a magnetosfera e os campos magnéticos de nossos corpos, existe um equilíbrio constante de energia, o que nos mantem vivos e sincronizados, permitindo-nos mudar segundo as circunstancias do cosmos. Quando a Terra tem uma alteração no seu campo magnético, todos os seres vivos podem sofrer suas consequências. Muitos investigadores do campo magnético humano provam a influencia que sofremos quando estamos próximos a antenas de telefonia celular e dos aparelhos eletrônicos. A trajetória atual do nosso Planeta nos aproxima de muitas mudanças no campo energético e as tempestades solares estão obrigando a Terra a auto regular-se para proteger-se da grande chuva de prótons que está aumentando. Como o campo magnético terrestre vai aumentar, teremos nosso campo energético aumentado.


Pressupondo que tudo segue o padrão natural de auto regulação, teremos uma melhor saúde, e um salto quântico. Como somos reflexos do universo e vibramos com ele, juntamente com o alinhamento do centro da galáxia, dos prótons, isso nos fará equilibrar-nos fisicamente e mentalmente, alinhando nossos hemisférios direito e esquerdo e aumentando nosso campo energético do corpo, nos sintonizando com o campo energético do planeta e entrando em sintonia direta com a energia do Universo.


Na medicina de nossos ancestrais (chinesa, indiana, andina, etc), o campo energético é alimentado por uma energia vital que recebe influência dos nossos pensamentos e emoções. Quando estamos com nossa energia vital equilibrada, todos os nossos órgãos funcionam perfeitamente, porque ela nutre todo o nosso corpo físico e mantém nosso campo energético vitalizado. Há algum tempo atrás essa energia (ki - prana - aché) era tida como coisa de místicos e curandeiros, todavia a existência dessa energia ficou plenamente demonstrada em experiências realizadas em universidades norte-americanas. Essas experiências provaram que há uma energia psíquica que pode ter efeitos benéficos ou maléficos, a depender dos sentimentos ou intenções do seu emissor e no nosso caso, de nós mesmos.


Também já foi cientificamente constatado que práticas como yoga, meditação, dança, pintura, canto ajudam a reequilibrar o campo emocional e existem comprovações que a Terapia Holística, através de suas técnicas e aconselhamentos, ajuda a resgatar o equilíbrio e a harmonia tanto mental quanto emocional e claro, a energética. A alimentação natural nos permite expandir nosso campo energético e o ato de respirar corretamente proporciona inúmeros benefícios ao nosso corpo e mente e tem o poder de alterar estados emocionais. O velho e conhecido conselho de parar e respirar tem grande sentindo, pois respirando fundo levamos a “energia vital” ao nosso corpo como um todo, acalmando nosso estado emocional.


Praticar atividades físicas também é bastante importante nesse processo, pois além de produzir endorfina, hormônio que produz a sensação de bem-estar, alivia tensões e faz com que obrigatoriamente respiremos mais profundamente e já é sabido que a meditação também é um meio muito importante para equilibrarmos nossa energia, o coração e nos colocar em um estado de tranquilidade. Toda carga elétrica em movimento gera campos magnéticos; no caso da Terra, o principal gerador é o núcleo terrestre, e no nosso corpo, a batida do coração e de todos nossos órgãos.


Nosso Campo Energético depende da integração dos quatro corpos básicos: físico, emocional, mental e espiritual. Geralmente a parte física é a mais trabalhada, mas existe a necessidade de um trabalho integrando a parte emocional, a mental e a espiritual; pois o ser humano é um complexo de densidades e frequências energéticas diferentes. Essa concepção existe há muito tempo e além dos campos da biologia e da química, atualmente nos deparamos com as transformações quânticas.


Quando dizemos: isso aqui tem um conteúdo inconsciente, ou quando uma pessoa tem uma queixa, uma dor, e ela sabe que tem aquele problema, já é algo consciente, mas o que está causando aquilo é inconsciente. À medida que nós tornamos esse inconsciente consciente, nós estamos transformando uma qualidade de onda de vibração em partícula. Na ciência, esse procedimento se baseia nessa concepção e, no campo da filosofia, ele está relacionado ao idealismo de Chopra e de Goswami, que consideram que a realidade quântica, psicoespirtitual, com a realidade conhecida como concreta.


Os chakras são à base do nosso campo energético e podem ser naturalmente reenergizados e curados, mas todo problema emocional ou mental tem um aspecto no campo áurico. Então, você pode detectar ali uma forma, uma cor e uma densidade. Um exemplo disso: As pessoas podem até sentir cheiro: quando as energias se transformam, aqueles que sentem cheiros sentem um odor desagradável indo embora; quando vem a energia curativa, e o campo é recomposto, elas começam a sentir o aroma de perfumes.


Energia é um tema que permeia muitas áreas de terapia médica complementar e por razões históricas e emocionais, duas palavras quase não são mencionadas dentro da pesquisa acadêmica: energia e toque. Felizmente os conceitos estão mudando dentro da ciência biomédica tradicional e a aceitação dos “campos energéticos humanos” e dos conceitos de “energia de cura” passaram da suspeita para respeitabilidade e os cientistas mudaram de uma convicção de que não havia um campo de energia ao redor do corpo humano, para uma certeza absoluta de que ele existe.


A razão principal para a mudança de perspectiva foi o desenvolvimento de instrumentos sensíveis que podem registrar os campos de energia ao redor do corpo humano como o magnetômetro, que é capaz de descobrir minúsculos campos energéticos associados com atividades fisiológicas no corpo. O mesmo campo energético que os indianos, chineses e andinos têm descrito por milhares de anos, mas que os cientistas ignoraram porque não havia nenhum modo objetivo para medir isto.


Atualmente temos referências de pesquisadores, como Deepak Chopra e o físico Amit Goswami, que desenvolveram trabalhos nos quais unem os mundos científico e espiritual para permitir ao ser humano não só a compreensão de outras realidades, mas a possibilidade de atingir novos níveis de saúde e bem-estar através do conhecimento do seu campo energético. A união filosófica dos conceitos energéticos da física das partículas com a psicologia criou a base da moderna física quântica, explicando vários fenômenos que têm sido mistério para o ser humano há milênios. Hoje sabemos que nosso centro de cura é o “self” e que através dele ensinamos nosso corpo a se conscientizar de nosso campo energético e a se curar.


Tratar a mente é tratar o espírito, e por meio de ambos atingirmos o equilíbrio físico. Além disso, pesquisas médicas desenvolvendo terapias de campos magnéticos pulsantes estão descobrindo que estas mesmas frequências são efetivas para o processo de cura. Nosso sistema nervoso inteiro age como uma antena projetando um campo energético (pulsações bio magnéticas) que começam no cérebro, especificamente no tálamo; frequências específicas estimulam o crescimento de nervos, ossos, pele, vasos capilares, e ligamentos e a medicina acadêmica está começando a aceitar como lógica e benéfica às terapias que trabalham com os campos energéticos humanos. Além disso, ondas que começam como pulsações relativamente fracas no cérebro parecem juntar forças assim que fluem ao longo dos nervos periféricos e nas mãos e o mecanismo desta amplificação envolve o sistema perineal e os outros sistemas do tecido conjuntivo.


Nosso corpo é um organismo perfeito e são os campos de energia que interferem no seu bom funcionamento; se retiramos essas energias do corpo (etéricas, emocionais, mentais) e acionamos os níveis de cura, o todo é reorganizado, porque ele sabe como fazer isso. Assim, paralelamente existe tanto a programação quanto as interferências que ocorrem do sistema psicofísico de uma pessoa, em que aprendemos a acionar as energias adequadas. Nós temos um “todo” de corpos integrados e funcionando harmonicamente entre si, com as conexões energéticas entre um e outro feito em canais que não estão obstruídos. Quando alguma coisa não está indo bem é porque temos interferências em nosso campo magnético e um dos corpos não está deixando a energia fluir adequadamente, causando um impedimento no fluxo geral das energias.

Bjos no Coração Abraço na Alma

Namastê!

Saviitri Ananda - CRTH/BR0230


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo