• Saviitri Ananda

LITHA - NASCE A CRIANÇA DE LUZ


Como todos sabem não sou a favor de rótulos, todavia nos acostumamos com eles e, de certa forma, temos que nos encaixar em um ou outro. Costumam perguntar a minha religião e eu respondo que sou "neo pagã". Curioso? escrevi um texto explicando (kinterapia.com). Por isso, tenho um calendário lunar e as estações do ano como referência para o meu "tempo" e meu "sentir". A Roda do Ano é o calendário que no xamanismo celta, simboliza a concepção de tempo e que era semelhantemente ao zodíaco. O tempo para os celtas, maias, sumérios, saxões...e muitos dos povos ancestrais, não era visto de forma linear, mas sim circular ou cíclico. Seus calendários levavam em conta não só o ciclo solar, como também o ciclo lunar.

E foi com os celtas que se originaram os conhecidos Sabbats, que ocorrem oito vezes ao ano, levando-se em conta a posição da Terra com relação ao Sol: os Equinócios e Solstícios. Nessas ocasiões, eram homenageadas duas divindades: a Deusa, que simboliza a própria terra, e o Deus Cornífero, o Gamo Rei, protetor dos animais, dos rebanhos e da vida selvagem. Como estamos em hemisférios diferentes e "importamos" uma cultura, o correto seria comemorar o Yule no hemisfério norte e o Litha aqui no sul, pois a Roda do Ano considera as estações. Mas, adoramos "importações" e seguimos a tradição europeia, comemorando o Yule que está relacionado com o solstício de inverno, quando a Criança do Sol renasce, a qual é uma imagem do retorno de toda nova vida através do amor dos Deuses. Os escandinavos tinham um Deus chamado Ullrs, e dentro da Tradição Nórdica, Yule é considerado o Ano Novo. Nas demais tribos e povos da Europa pré-cristã, o solstício de inverno era a mais antiga festa sazonal e dada sua importância foi sincretizado com as festividades do Natal Cristão.


O Yule era celebrado desde os finais de dezembro até aos primeiros dias de janeiro, abrangendo o Solstício de Inverno. Foi a primeira festa sazonal comemorada pelas tribos neolíticas do norte da Europa, e é até hoje considerado o início da roda do ano por muitas tradições Pagãs. O Neo paganismo celebra Yule no Solstício de Inverno, por volta do dia 21 de dezembro no hemisfério norte e por volta do dia 21 de junho no hemisfério sul. A passagem do Yule foi mais tarde aderida pelos cristãos simbolicamente comemorando o aniversário de Cristo. Embora Yule seja o nome do solstício de inverno no hemisfério norte, originalmente é um tronco de árvore, possivelmente parecido com um tipo de pinheiro. Yule, o menino da promessa; semente de luz; festa medieval que comemorava a chegada do inverno; na língua inglesa significa em torno do natal; natalício. Devido a adaptação cristã, poucos comemoram o Litha (21 de Junho (Hemisfério Norte e 21 de Dezembro Hemisfério Sul), época que o deus, em seu aspecto de luz está no auge de seu poder e é coroado como Senhor da Luz (época de fartura e celebração). Assim uniram-se as tradições e nós vivenciamos a chegada da criança que traz Luz. Discutir as tradições de Yule é mencionar o Natal. Muitos dos costumes de Yule foram absorvidos pela Igreja Cristã, quando o catolicismo tentava se estabelecer na Europa. O Natal cristão já foi festejado em várias datas diferentes no decorrer do século, mas se estabeleceu no dia 25 de dezembro, pois associou muitos dos costumes da antiga e milenar celebração do solstício de Inverno, que ocorre por volta de 21 de dezembro no hemisfério norte.


As tradições Cristãs dizem que Maria deu à luz Jesus no vigésimo quinto dia, mas não confirma de qual mês. Finalmente em 320 D.C., a Igreja católica decidiu marcar o nascimento de cristo em dezembro para absorver o culto sagrado do solstício de Inverno dos celtas e saxões. O nascimento de um Deus no solstício de Inverno não é exclusivo do Catolicismo, sendo mitras um exemplo disso ( Mitra , deus da sabedoria, dos contratos e da guerra na mitologia indo-ariana da Índia, Pérsia e Anatólia e na mitologia persa representava a luz, o bem e o mundo espiritual distinto da matéria).


A árvore de natal, decorada com bolas e uma estrela no topo, é a antiga árvore que os pagãos decoravam nos tempos ancestrais com velas, comidas e bolas coloridas encimada com um pentagrama, o símbolo da Bruxaria. Na verdade muitos pagãos celebram Yule como o festival da luz, que comemora a Deusa como Mãe que dá nascimento ao Deus sol, a Criança da Promessa. Em tempos antigos pequenas bonecas de milho eram carregadas de casa em casa com canções típicas de Yule. Os primeiros pagãos acreditavam que esse ato traria as Bênçãos da Deusa às casas que fossem visitadas pelas Corn Dollies. Era um tempo ideal para colher o visco, considerado muito mágico para os antigos Druidas, que chamavam de o “Ramo Dourado”. Os druidas acreditavam que o visco possuía grandes poderes de cura e possibilitava ao homem mortal acessar o Outro mundo. O pinheiro sempre esteve associado a Deusa. As luzes e os ornamentos, como o sol, lua e estrelas que faziam parte da decoração das árvores, representavam os espíritos que eram lembrados no final de cada ano. A tradição da Tora de Yule, perseverou até os dias atuais, são feitos três buracos ao longo de um pequeno tronco e se colocam três velas em cada buraco, uma branca, uma vermelha e uma preta para simbolizar a Deusa Tríplice. a Tora de Yule também é decorada com azevinho sempre verde para simbolizar a união da Deusa com o Deus.

Para os celtas, celebrar o Solstício de Inverno era o mesmo que reafirmar a continuação da vida, pois Yule é o tempo de celebrar o espírito da Terra, pedindo coragem para enfrentar os obstáculos e dificuldades que atravessaremos até a chegada da Primavera. O tema principal do Sabbat é a luz em todas as suas manifestações, seja o fogo da lareira, seja de uma fogueira, de velas, etc.

Correspondências de Yule – Cores – vermelho, verde, dourado e branco – Ervas – alecrim, hibisco, cedro, louro. – Pedras – Rubi, granada, olho de gato.

Atividades – Contar com a família; – Decorar a árvore de Yule; – Tocar sinos para homenagear as fadas; – Colocar guirlandas na porta de casa; – Espalhar hibisco pela casa; – Colher folhas verdes e queimá-las em Imbolc; – Fazer uma boneca de milho; – Fazer a Tora de Yule.

Comidas e Bebidas – bolos de frutas; – nozes; – pães; – vinho quente e normal; – maçãs; – doce de abóbora. FELIZ COMEMORAÇÃO!!!!! Bjos no Coração Namastê! Saviitri Ananda - CRTH0230

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo