• Saviitri Ananda

MEDICINA & MEDICAMENTOS


Há muito tempo venho questionando os procedimentos médicos, principalmente no que diz respeito a indicação de medicamentos. Indicam medicamentos para corrigir uma disfunção (EX: fluxo de comunicação do coração) e esta medicação cai na corrente sanguínea, se espalha pelo corpo todo e acaba interferindo em outras funções do organismo (Ex: sistema nervoso). Os medicamentos industrializados não respeitam as características do sofisticado sistema de sinalização e o nível de especificidade do nosso corpo.

Como terapeuta, fico espantada com o número de mulheres que atendo sofrendo efeitos colaterais bem sérios, causados pela terapia de reposição hormonal com medicamento farmacêutico. Todos nós sabemos que a função mais conhecida do estrógeno está associada ao sistema reprodutor feminino; todavia, estudos realizados sobre a distribuição dos receptores de estrógeno do corpo revelam que ele desempenha um papel importante nas funções normais dos vasos sanguíneos do coração e do cérebro. Pois bem, os médicos costumam prescrever estrógeno sintético para alívio dos sintomas da menopausa, mas este estrógeno não atinge somente estes órgãos, afeta os receptores do coração, dos vasos sanguíneos e do sistema nervoso e isso pode causar doenças vasculares e disfunções neurais, incluindo o AVC ( acidente vascular cerebral). Esse é apenas um exemplo de como os efeitos adversos destes tipos de medicamentos são a principal causa de mortes causadas por tratamento médico.


Uma pesquisa realizada pelo Journal of American Medical Association, mostra que as doenças iatrogênicas (causadas pelos efeitos adversos à medicação), são as terceiras maiores causadoras de morte nos EUA. Lá, mais de 300 mil pessoas morrem por ano devido a efeitos colaterais de medicamentos receitados por médicos. No Brasil ainda não temos dados estatísticos sobre, mas qualquer pessoa que faz uso de medicação, principalmente contínua, se ler a bula do medicamento, vai constatar que está preservando a função de um órgão em detrimento de outros órgãos ou outras funções.


É assustador, porque este problemas está relacionado com profissionais que representam o acesso à cura, e estão fornecendo um atalho para a morte. Toda esta questão está, intimamente, relacionada com a formação de nossos médicos, que são orientados pelas indústrias farmacêuticas e prescrevem grandes quantidades de medicamentos, regidos pelos princípios intelectuais de sua profissão e pelas corporações que os controlam.


Quando cursei a pós de Saúde Quântica e aprendi como funciona o engenhoso e sofisticado sistema de sinalização do corpo, comecei a entender melhor o mal que pode fazer um medicamento industrializado, não natural. Aprendia a valorizar, ainda mais, os mais de 3 mil anos de cura eficaz da Medicina Ancestral ( chinesa, indiana, maia, etc); afinal é uma medicina natural que se baseia em um profundo conhecimento dos princípios que regem o Universo. Muito antes dos cientistas descobrirem as leis física quântica, os povos orientais já registravam e atestavam que a energia era o fator principal para nossa saúde e bem estar.


A medicina indiana e chinesa vê o corpo pela holística, como um sistema complexo, uma estrutura de fluxos de energia (nadis e meridianos), que se assemelham aos diagramas eletrônicos que conhecemos. Usando as mãos ou instrumentos como luzes, agulhas, pêndulos, pedras... os médicos holistas testam os circuitos de energia de seus pacientes, exatamente da mesma maneira que os engenheiros eletrônicos consertam uma placa de circuitos, identificando as patologias.


Embora pratique a medicina natural e admire a Ayurveda, MCT, Munay Ki, não posso condenar os médicos que prescrevem medicamentos em grandes quantidades, que vão contra seus próprios objetivos de cura. Afinal em seus cursos, recebem informações e instruções sobre os produtos farmacêuticos e pressão pelos representantes da indústria farmacêutica (que vendem os produtos e atualizam os médicos sobre a eficácia desses medicamentos). Os médicos estão sendo programados pela indústria farmacêutica e nós nos tornamos um país de viciados em drogas prescritas, que nos trazem, muitas vezes, resultados trágicos.

Todavia, existem soluções e alguns ramos da ciência já incorporaram a física quântica. Estamos despertando para a realidade do universo quântico e o poder da teoria quântica que abriu a nossa visão e rompeu paradigmas. A física quântica também permitiu que se tornassem realidade alguns milagres eletrônicos que nos trouxeram para a era da informatização. A aplicação da mecânica quântica foi responsável pelo desenvolvimento dos computadores, do laser, dos exames computorizados e um avanço maravilhoso às ciências biomédicas. Precisamos parar, refletir, repensar sobre os nossos velhos conceitos e condicionamentos; incorporar as descobertas da física quântica à biomedicina, à medicina natural e não agressiva. Assim poderemos criar um sistema holístico de cura que esteja de acordo com as leis da natureza. Bjos no Coração Namastê! Saviitri Ananda - CRTH0230


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo