• Saviitri Ananda

MORTE - O SONO DA NOITE



A energia evolutiva não tem limites. Se o momento é de união com o “todo”, é hora de partilhar com o próximo. Abra de vez seu coração e sua mente, servindo de passagem à energia cósmica.

Cada momento por que você passa é um novo nascimento, uma nova oportunidade para criar um pensamento original, ou tomar uma atitude diferente. Cada vez que se deixa para trás um velho conceito a respeito de si mesmo, trata-se de um nascimento. Nascimento e morte são eventos simultâneos, pois alguma coisa velha precisa morrer para dar lugar ao novo.

A filosofia iogue ensina que “o homem viveu e viverá sempre”. O que chamamos de morte é apenas o sono da noite para acordar na manhã seguinte; é apenas uma perda temporal de consciência.


A vida é contínua e o seu fim é o progresso, o crescimento e o desenvolvimento. Ir e vir, nascer e morrer: é o pêndulo da vida que se mostra em todas as manifestações da natureza.

O homem que compreende as leis do cosmos atua com a inteligência dos grandes mestres. Ele sabe que o caminho a tomar é o do renascimento, o da total doação para fundir-se ao Universo.

Antes que possa ocorrer um verdadeiro renascimento, você deve verificar quais são os hábitos, os comportamentos, os relacionamentos ou a parte do seu Ser que estão morrendo e que necessita, assim, de maior assistência.

Ajude esse processo a se realizar, permitindo conscientemente que o velho seja afastado. Deixe que os aspectos obsoletos de sua vida sejam removidos e abra espaço para que o seu próximo ciclo de vida se manifeste.

Lembre-se de que sempre que você deixa suas velhas auto imagens morrerem, você estará criando um terreno fértil para semear eventos novos e mais estimulantes em sua vida.


Quando se permite que os velhos padrões estabelecidos morram com dignidade, o ciclo de renascimento que se segue estará sempre completo de novas promessas de renascimento.

Uma possível falta de sincronia poderá exigir o realinhamento com as necessidades pessoais do corpo; se isso acontecer, lembre-se de que honrar o próprio ritmo é voltar a se harmonizar com o próprio eu.

Ritmo é coisa pessoal, cuide do seu, respeite o seu ritmo; a cada momento por que você passa é um novo nascimento, uma nova oportunidade para criar um pensamento original, ou tomar uma atitude diferente.

Então, o ensinamento para semana é a percepção do processo vida-morte, da consciência do Aqui e do Além, da renúncia, da entrega, do “deixar ir”. Estamos sendo desafiados a vencer o medo da morte, a agressividade, o apego à matéria, a atitude de vítima.


Estamos sendo convocados a nos livrar do desnecessário, daquilo que já não serve para nada, desde amizades, leituras, lugares que frequentamos, até as crenças limitadoras que impedem que sejamos nós mesmos.

Bjos no Coração

Abraço na Alma

Namastê!

Saviitri Ananda - CRTH/BR0230

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo